Televisão ou Internet?

Quem diria, a Internet deixou para trás a TV na preferência do público – pelo menos nos EUA, país que concentra o maior número de pessoas (170 milhões) com acesso à rede mundial de computadores.
Pesquisa realizada pela OPA (Associação dos Editores Online) em 2004, a Internet, no gosto popular foi apontado em primeiro lugar por uma pesquisa com americanos entre 18 e 54 anos. A OPA reúne os principais sites de informação dos EUA, como o CNN, MSNBC, Reuters e The Wall Street Journal Online.
A pesquisa investigou a relação dos americanos com os principais veículos: Internet, TV, rádio, jornais e revistas. Destaque para a liderança da Internet entre os meios preferidos.

1. Internet -> 45,6%
2. TV -> 34,6%
3. Livros, jornais e revistas -> 7,5%, 3,2% e 0,8%

Se pudesse optar por apenas dois entre os listados acima quais veículos escolheriam. A Internet foi a primeira escolha para 45,6% dos entrevistados, contra 34,6% da TV. Como segunda escolha, os índices foram respectivamente 32,1% e 27,8%. Tanto a Internet quanto televisão ficaram bem distantes do terceiro lugar na preferência popular, os livros.

A internet lidera preferências

A força da Internet é ainda maior no grupo mais jovem, formado por pessoas entre 18 e 24 anos. Nesta faixa etária, 50,5% apontam a Internet como meio preferido, contra 28,5% que são mais ligados em televisão.

“O alcance e a familiaridade com a rede mundial são os motivos pelos quais a Internet está cada vez mais presente na vida da geração mais jovem”, disse Michael Zimbalist, presidente da OPA, em comunicado da entidade.

Segundo ele, os entrevistados acreditam que “com a Internet, podem encontrar qualquer coisa que procuram, em qualquer lugar que estejam”.

Pesquisadores também pediram aos entrevistados que comparassem aspectos do conteúdo online em relação ao tradicional. O material divulgado pela Internet saiu-se muito bem, em todas as faixas etárias. Exemplo: para quase todo mundo (97%), procurar informações na Internet sobre produtos e música é a mesma coisa ou melhor do que em revistas. Já outro dado causa surpresa para os que consideram que Internet não é lugar para textos – para 83%, ler uma reportagem ou artigo online é igual ou melhor do que em um jornal.

Para 63%, assistir vídeos de longa duração ainda é algo para ser feito em frente à TV, não na telinha do PC.

Comparação de atividades na Internet em relação a outras mídias

A relação dos americanos com a Internet também está mudando, segundo a pesquisa da OPA. “Os consumidores estão indo além do uso puramente funcional da Internet, passando a ter atividades mais relacionadas com mídia, como a leitura de textos, ver fotos e assistir vídeo”, disse Zimbalist. “Os resultados da pesquisa mostram que a Internet está deixando de ser uma ferramenta para ser uma mídia”.

A Internet também supera todos os outros meios quando se trata de informação sobre produtos e serviços e é, de longe, a mídia mais importante para os entrevistados. No entanto, a rede ainda não é vista como o melhor meio de entretenimento e ainda carece de credibilidade – embora, nesse aspecto, empate com os jornais.

Brasil

O Brasil ainda não dispõe de pesquisas com a extensão do estudo realizado pela OPA, mas alguns dados podem dar uma boa idéia da relação crescente dos internautas brasileiros com a rede. Os usuários nacionais bateram novo recorde em tempo de uso da Internet em casa, de acordo com dados do Ibope/NetRatings, que mede o uso mensal da Internet no país.

Segundo o instituto, os cerca de 12 milhões de internautas ativos do país ficaram, em média, 13h58 online -atrás apenas dos japoneses, com 14h26. Os americanos ficaram em terceiro, com 13h40.

Em 2003, os brasileiros passaram 11h15 navegando. Nos EUA e Japão o crescimento foi de, respectivamente, 4,1% e 4,4%.

“O aumento no número de horas é impulsionado pelos internautas de banda larga, que já são responsáveis por mais de 60% do tempo total online dos domicílios brasileiros”, diz Marcelo Coutinho, diretor de análise do instituto. “Eles navegam em média 20 horas mensais, enquanto os usuários de linha discada ficam 8 horas”.

A Internet ainda não enfrenta a TV aberta, já incomoda a TV por assinatura. Perguntados sobre o que prefeririam caso tivessem de optar por um celular, um computador com acesso à Internet ou uma assinatura de TV paga, 61% dos entrevistados preferiu o micro com acesso. O celular e a assinatura obtiveram, respectivamente, 18% e 14% das preferências.

A Internet também caiu no gosto dos jovens. Conforme dados do Target Group Index, pesquisa do Ibope Mídia sobre o consumidor brasileiro, 52% dos jovens de 12 a 19 anos que vive no Sul/Sudeste do país usam a Internet. O crescimento do acesso nessa faixa etária foi de 180% em quatro anos, aponta o instituto, 5% acima da média geral da população.

Anúncios

~ por gigabr em janeiro 19, 2008.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: